Recife, Pernambuco - Brasil

Reciflor

ANTECEDENTES

O comércio em nível de atacado de flores no Recife era praticado na Praça Sérgio Loreto, Bairro de São José, e vinculado, informalmente, a Prefeitura do Recife. Ali os produtores negociavam com margens comerciais abusivas, de segunda a sábado, no período da noite e madrugada, por mais de 12 horas, de forma precária e sem nenhuma infra-estrutura. Assim o principal canal de escoamento da produção estadual operava de modo ineficiente, em prejuízo de todo o sistema comercial, inclusive inibindo qualquer perspectiva de expansão.

A idéia da transferência da feira de flores para o CEASA surgiu da necessidade de ordenamento do comércio de flores, já que esse setor despontava no agronegócio como uma das atividades de maior capacidade de geração de emprego e renda.

 

 

FEIRA DE FLORES NO CEASA

A feira de flores foi transferida para o CEASA em maio de 2000, concentra a produção dos agricultores de flores temperadas de Gravatá e funciona nas madrugadas das terças, quintas e sábados, das 5h às 7h. Esta ação foi fundamentada pelos motivos que se seguem:

  • Apoio ao agricultor de base familiar na comercialização da produção.
  • Redução da ação dos intermediários.
  • Aumento do nível de renda dos agricultores.
  • Melhoria da qualidade e produtividade das flores, mediante intercâmbio com outros mercados.

 

Após vários anos de funcionamento no CEASA, o Reciflor acumula bons motivos, além dos já citados acima, para comemorar o acerto da transferência: eficiência e racionalização do canal de escoamento da floricultura estadual, referência no abastecimento de flores do Estado, maior organização das feiras em datas comemorativas, formação de banco de dados, diversificação do mix do CEASA, entre outros. Do ponto de vista do consumidor, destacam-se as vantagens: compra direta ao produtor, preços mais accessíveis e diversidade de produtos.

                                                                  

                                                                                                    PERFIL DA FEIRA DE FLORES

Início 

Maio / 2000

Infraestrutura 

Área coberta com 600 m²/ Estacionamento gratuito/ Segurança permanente e serviços de apoio.

Órgãos Envolvidos

CEASA-PE e UFRPE 

Principais Compradores 

Funerárias, floricultores, Igrejas, decoradores, feiras livres e consumidores domésticos. 

Principais Épocas de Venda

Maio, junho, novembro e dezembro.

Horário 

Terças, quintas-feiras e sábados das 5 às 7 horas. 

Número de produtores/comerciantes

100

Volume e valor médio/mês 

90 t e 800 mil reais em valores 

Origem dos Compradores

RMR, João Pessoa, Campina Grande, Maceió, entre outros.

Procedência das Flores

Gravatá, principalmente, Bonito e Barra de Guabiraba. 

Variedade de Flores e Folhagens 

Rosa, monsenhor (flor do campo e crisântemo) celsa, astroméria, hortênsia, angélica, gladíolo, dracena, cravo, bambu, girassol, arruda, lacto foiha, lisianthus,lírio, gérbera, carinho de mãe, tango, melindre, avenca e jasmim, tango, áster, etc...

Feiras de flores mais expressivas

Dia de Finados, Dia das Mães, Dia dos Namorados, Dia da Mulher, Natal e Ano Novo.

Contato

(81) 3035-8045 / 0800 281 3966

 

 *Informações fornecidas pelo Departamento Técnico do Ceasa (DETEC) em junho de 2017.